Sorry for interrupting, this website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Learn more
Accept and close

Description

Description

"O varejo alimentar é um dos setores que mais tem se beneficiado das mudanças nos padrões sociais e econômicos da população brasileira. Na última década, a renda dos brasileiros não só aumentou, como também foi mais bem distribuída. Aliado a isso, o crédito foi gradualmente ampliado e o desemprego atingiu seu patamar mínimo recorde em 2012, o que fez com que o consumo das famílias crescesse a taxas superiores à do PIB, levando consigo o varejo alimentar."

Clarissa Bueno de Almeida, Analista Sênior de Varejo

Neste relatório, vamos responder às seguintes questões fundamentais:

  • Como o varejo alimentar tem se desenvolvido no Brasil e qual a previsão de crescimento para os próximos cinco anos?

  • Por que os hipermercados estão passando por uma “crise de identidade” e quais são as oportunidades para que eles recuperem a sua atratividade?

  • O que está motivando o varejo alimentar a voltar suas atenções para as classes mais baixas e quais são os fatores-chaves para capturar a base da pirâmide?

  • Por que os idosos são um segmento com potencial tão promissor para o varejo alimentar brasileiro e como adaptar os ambientes, serviços e sortimentos para servi-los melhor?

  • Por que é tão importante adotar estratégias regionais e locais no Brasil?

What's included

What's included

Table of contents

Table of contents

  1. Introdução

      • Definição
        • Abreviações
        • Resumo Executivo

            • Mercado
              • Figura 1: Comparativo do faturamento do varejo alimentar nas maiores economias mundiais, 2011
              • Figura 2: Comparativo do crescimento anual do faturamento (em moeda local) do varejo alimentar das principais economias mundiais, 2007-11
            • Figura 3: Comparativo do gasto per capita no varejo alimentar nas maiores economias mundiais, 2011
              • Figura 3: Comparativo do gasto per capita no varejo alimentar nas maiores economias mundiais, 2011
              • Figura 4: Evolução do faturamento do varejo alimentar brasileiro, 2007-11
            • Figura 5: Evolução do varejo alimentar brasileiro, volume, 2007-11
              • Figura 5: Evolução do varejo alimentar brasileiro, volume, 2007-11
              • Figura 6: Participação dos formatos de loja no varejo alimentar brasileiro, volume e valor, 2011
            • Previsão
              • Figura 7: Previsão de volume de lojas do varejo alimentar brasileiro, 2007-17
            • Figura 8: Previsão de faturamento do varejo alimentar brasileiro, 2007-17
              • Figura 8: Previsão de faturamento do varejo alimentar brasileiro, 2007-17
            • As companhias
              • Figura 9: Faturamento das 10 maiores companhias do varejo alimentar brasileiro, 2011
            • Figura 10: Participação das maiores empresas no varejo alimentar brasileiro, valor, 2011
              • Figura 10: Participação das maiores empresas no varejo alimentar brasileiro, valor, 2011
            • Figura 11: Comparativo da concentração do varejo alimentar nas maiores economias mundiais, volume, 2011
              • Figura 11: Comparativo da concentração do varejo alimentar nas maiores economias mundiais, volume, 2011
              • Figura 12: Comparativo da concentração do varejo alimentar nas maiores economias mundiais, valor, 2011
            • Tópicos do relatório
              • Enquanto alguns formatos ganham força, outros passam por uma crise de identidade
                • Figura 13: Penetração e frequência de compra por tipo de loja, novembro 2012
              • A baixa renda é a “bola da vez” no varejo alimentar
                • Figura 14: Preferência pela mercearia para a compra de alimentos, por classe social, novembro 2012
              • Idosos: Quando o varejo alimentar Brasileiro vai despertar para estes consumidores?
                • Figura 15: Rendimento nominal per capita médio mensal por grupos de idade, 2010
              • Para cada localidade, uma oportunidade: os vários Brasis em um só
                • Figura 16: Penetração por tipo de loja de autosserviço, novembro 2012
              • O que pensamos
              • Enquanto Alguns Formatos Ganham Força, Outros Passam Por Uma Crise de Identidade

                • Tópicos centrais
                  • Em busca de conveniência, o consumidor impulsiona o varejo de vizinhança
                    • Figura 17: Inflação mensal média por década no Brasil, 1990-2000
                  • Figura 18: Penetração e frequência de compra por tipo de loja, novembro 2012
                    • Figura 18: Penetração e frequência de compra por tipo de loja, novembro 2012
                  • O atacarejo é “a mina de ouro” do varejo alimentar brasileiro na última década
                    • Figura 19: Clientes do formato que concordam com a afirmação “Eu vou ao mercado que tiver as melhores ofertas especiais em determinada semana”, novembro 2012
                      • Figura 19: Clientes do formato que concordam com a afirmação “Eu vou ao mercado que tiver as melhores ofertas especiais em determinada semana”, novembro 2012
                    • Figura 20: Penetração nos canais de autosserviço, total Brasil, novembro 2012
                      • Figura 20: Penetração nos canais de autosserviço, total Brasil, novembro 2012
                      • Figura 21: Distribuição das lojas de atacarejo dos 3 principais players do mercado brasileiro*, 2013
                    • Ajustes no modelo do hipermercado podem recuperar a sua atratividade para o consumidor
                      • Figura 22: Penetração do hipermercado por região, novembro 2012
                        • Figura 22: Penetração do hipermercado por região, novembro 2012
                        • Figura 23: Penetração do hipermercado por classe social, novembro 2012
                      • O que isso significa
                      • A Baixa Renda é a “Bola da Vez” no Varejo Alimentar

                        • Tópicos centrais
                          • As classes DE concentram-se nas regiões Norte e Nordeste do Brasil
                            • Figura 24: Distribuição socioeconômica brasileira por faixas de rendimento familiar mensal, 2011
                            • Figura 25: Concentração de classe DE por estado brasileiro, 2009 e 2014
                          • As classes DE tiveram o maior aumento de renda per capita na última década
                            • Figura 26: Evolução do consumo anual per capita por classe social, 2009-20
                            • Figura 27: Penetração do consumo alimentar dentro do domicílio por faixa de rendimento per capita, 2009
                          • Figura 28: Plano de investimento para os próximos 12 meses por classe social, novembro 2012
                            • Figura 28: Plano de investimento para os próximos 12 meses por classe social, novembro 2012
                          • Proximidade, atendimento e flexibilidade de pagamento são fatores-chave para conquistar baixa renda
                            • Figura 29: Comportamento em relação à compra no varejo alimentar por classe social, novembro 2012
                          • Figura 30: Posse de automóvel de passeio por classe social, novembro 2012
                            • Figura 30: Posse de automóvel de passeio por classe social, novembro 2012
                            • Figura 31: Penetração por tipo de loja por classe social, novembro 2012
                          • Figura 32: Preferência pela mercearia para a compra de alimentos por classe social, novembro 2012
                            • Figura 32: Preferência pela mercearia para a compra de alimentos por classe social, novembro 2012
                          • Figura 33: Loja preferida para compra principal de alimentos por classe social, novembro 2012
                            • Figura 33: Loja preferida para compra principal de alimentos por classe social, novembro 2012
                          • Figura 34: Situação de trabalho por classe social, novembro 2012
                            • Figura 34: Situação de trabalho por classe social, novembro 2012
                          • Adaptações nas embalagens podem ser bastante eficazes para incrementar o consumo nas classes DE
                            • Figura 35: Consumidores das classes DE que aumentaram o consumo da categoria nos últimos 12 meses, janeiro 2013
                          • Figura 36: Penetração por categoria e por classe social, novembro 2012
                            • Figura 36: Penetração por categoria e por classe social, novembro 2012
                          • O que isso significa
                          • Idosos: Quando o Varejo Alimentar Brasileiro Vai Despertar Para Estes Consumidores?

                            • Tópicos centrais
                              • O idoso tem um novo perfil socioeconômico no Brasil do século XXI
                                • Figura 37: Evolução da população brasileira por grupos de idade, 2001-11
                                • Figura 38: Pessoa responsável pelo domicílio* por grupo de idade, 2010
                              • Figura 39: Rendimento nominal per capita médio mensal por grupos de idade, 2010
                                • Figura 39: Rendimento nominal per capita médio mensal por grupos de idade, 2010
                                • Figura 40: Status empregatício da faixa etária 55+ anos, novembro 2012
                              • Adaptações nas lojas e nos serviços podem fidelizar os clientes idosos
                                • Figura 41: Frequência de compra no varejo alimentar por grupos de idade, novembro 2012
                              • Figura 42: Posse de automóvel por grupo de idade, novembro 2012
                                • Figura 42: Posse de automóvel por grupo de idade, novembro 2012
                                • Figura 43: frequência de compra ao menos uma vez por mês por tipo de loja para a faixa 55+anos, novembro 2012
                              • Figura 44: Frequência de compra nos canais do varejo alimentar na faixa etária de 55+ anos, novembro 2012
                                • Figura 44: Frequência de compra nos canais do varejo alimentar na faixa etária de 55+ anos, novembro 2012
                              • Figura 45: Frequência de compra em lojas online do varejo alimentar nos últimos 12 meses, novembro 2012
                                • Figura 45: Frequência de compra em lojas online do varejo alimentar nos últimos 12 meses, novembro 2012
                              • Os idosos são carentes de produtos que aliem conveniência ao gostinho do produto caseiro e natural
                                • Figura 46: Participação dos grupos de idade em domicílios com um só morador, 2010
                              • Figura 47: Compra por categoria por grupo de idade, novembro 2012
                                • Figura 47: Compra por categoria por grupo de idade, novembro 2012
                                • Figura 48: Hábitos alimentares por grupo de idade, janeiro 2013
                              • O que isso significa
                              • Para Cada Localidade, Uma Oportunidade: os Vários Brasis em um Só

                                • Tópicos centrais
                                  • Há potencial para grandes players operarem supermercados pequenos e médios no Centro-Oeste
                                    • Figura 49: Rendimento nominal médio mensal das pessoas de 10 anos ou mais por região brasileira,* 2010
                                    • Figura 50: Rendimento nominal médio mensal das pessoas de 10 anos ou mais em alguns estados do Brasil,* 2010
                                  • Figura 51: Quantidades de lojas de supermercado dos três principais players* do varejo alimentar por região brasileira, abril 2013
                                    • Figura 51: Quantidades de lojas de supermercado dos três principais players* do varejo alimentar por região brasileira, abril 2013
                                    • Figura 52: Comparativo entre a proporção da população (2010) e a de lojas de supermercado dos três principais players* do varejo alimentar brasileiro nas regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste (abril 2013)
                                  • Figura 53: Penetração em supermercados e em mercearias por região brasileira, novembro 2012
                                    • Figura 53: Penetração em supermercados e em mercearias por região brasileira, novembro 2012
                                  • O consumidor do Rio de Janeiro precisa ser motivado a frequentar outros formatos além do supermercado
                                    • Figura 54: comparativo de renda domiciliar per capita mensal, 2010
                                    • Figura 55: Penetração por tipo de loja de autosserviço, novembro 2012
                                  • Figura 56: Comparativo de penetração no supermercado e no hipermercado, novembro 2012
                                    • Figura 56: Comparativo de penetração no supermercado e no hipermercado, novembro 2012
                                  • Figura 57: Comparativo entre a proporção da população (2010) e a de lojas de hipermercado dos 5 maiores players* do varejo alimentar brasileiro nas cidades do Rio de Janeiro e Belo Horizonte (abril 2013)
                                    • Figura 57: Comparativo entre a proporção da população (2010) e a de lojas de hipermercado dos 5 maiores players* do varejo alimentar brasileiro nas cidades do Rio de Janeiro e Belo Horizonte (abril 2013)
                                    • Figura 58: Penetração por tipo de loja no Rio de Janeiro, novembro 2012
                                  • A expansão de lojas de proximidade pode reduzir a força do varejo tradicional em Belo Horizonte
                                    • Figura 59: Penetração por tipo de loja, novembro 2012
                                  • Figura 60: Penetração por tipo de loja em belo horizonte, novembro 2012
                                    • Figura 60: Penetração por tipo de loja em belo horizonte, novembro 2012
                                  • Figura 61: Penetração em mercearia, novembro 2012
                                    • Figura 61: Penetração em mercearia, novembro 2012
                                  • O que isso significa
                                  • Apêndice – O Mercado

                                      • Figura 62: Vendas em valor do mercado varejista, 2007-11
                                      • Figura 63: Número de lojas no mercado varejista, 2007-11
                                      • Figura 64: Número de lojas por segmento varejista, 2011
                                    • Figura 65: Valor de mercado por segmento varejista, 2011
                                      • Figura 65: Valor de mercado por segmento varejista, 2011
                                      • Figura 66: Participação no número de lojas por grupo varejista, 2011
                                      • Figura 67: Participação no valor de mercado por grupo varejista, 2011
                                    • Figura 68: Previsão de numero de lojas varejistas, 2012-17
                                      • Figura 68: Previsão de numero de lojas varejistas, 2012-17
                                      • Figura 69: Previsão de valor no mercado varejista, 2012-17
                                  • Apêndice – Dados do Consumidor

                                    • Frequência de compra em diferentes tipos de loja
                                      • Figura 70: Frequência de compra em diferentes tipos de loja, novembro 2012
                                      • Figura 71: Frequência de compra em diferentes tipos de loja, novembro 2012
                                    • Figura 72: Frequência de compra em diferentes tipos de loja, pela demografia, novembro 2012
                                      • Figura 72: Frequência de compra em diferentes tipos de loja, pela demografia, novembro 2012
                                      • Figura 73: Frequência de compra em supermercados, pela demografia, em frequências mais altas, novembro 2012
                                    • Figura 74: Frequência de compra em supermercados, pela demografia, em frequências mais baixas, novembro 2012
                                      • Figura 74: Frequência de compra em supermercados, pela demografia, em frequências mais baixas, novembro 2012
                                      • Figura 75: Frequência de compra em hipermercados, pela demografia, em frequências mais altas, novembro 2012
                                    • Figura 76: Frequência de compra em hipermercados, pela demografia, em frequências mais baixas, novembro 2012
                                      • Figura 76: Frequência de compra em hipermercados, pela demografia, em frequências mais baixas, novembro 2012
                                      • Figura 77: Frequência de compra em clubes de descontos, pela demografia, novembro 2012
                                    • Figura 78: Frequência de compra em lojas de conveniência , pela demografia, em frequências mais altas, novembro 2012
                                      • Figura 78: Frequência de compra em lojas de conveniência , pela demografia, em frequências mais altas, novembro 2012
                                      • Figura 79: Frequência de compra em lojas de conveniência , pela demografia, em frequências mais baixas, novembro 2012
                                    • Figura 80: Frequência de compra em lojas de departamento, pela demografia, novembro 2012
                                      • Figura 80: Frequência de compra em lojas de departamento, pela demografia, novembro 2012
                                      • Figura 81: Frequência de compra em mercearias independentes, pela demografia, em frequências mais altas, novembro 2012
                                    • Figura 82: Frequência de compra em mercearias independentes, pela demografia, em frequências mais baixas, novembro 2012
                                      • Figura 82: Frequência de compra em mercearias independentes, pela demografia, em frequências mais baixas, novembro 2012
                                      • Figura 83: Frequência de compra em grupo online, pela demografia, novembro 2012
                                    • Figura 84: Frequência de compra em loja online, pela demografia, novembro 2012
                                      • Figura 84: Frequência de compra em loja online, pela demografia, novembro 2012
                                      • Figura 85: Frequência de compra em padarias, pela demografia, em frequências mais altas, novembro 2012
                                    • Figura 86: Frequência de compra em padarias, pela demografia, em frequências mais baixas, novembro 2012
                                      • Figura 86: Frequência de compra em padarias, pela demografia, em frequências mais baixas, novembro 2012
                                      • Figura 87: Frequência de compra em feira, pela demografia, em frequências mais altas, novembro 2012
                                    • Figura 88: Frequência de compra em feira, pela demografia, em frequências mais baixas, novembro 2012
                                      • Figura 88: Frequência de compra em feira, pela demografia, em frequências mais baixas, novembro 2012
                                      • Figura 89: Frequência de compra em atacadista, pela demografia, novembro 2012
                                    • Principais lojas de compra de mercearia e líderes de varejo
                                      • Figura 90: Principais lojas de compra de mercearia e líderes de varejo, novembro 2012
                                      • Figura 91: Principais lojas de compra de mercearia e líderes de varejo, pela demografia, compra semanal/mensal, novembro 2012
                                    • Figura 92: Principais lojas de compra de mercearia e líderes de varejo, pela demografia, compra de reposição, novembro 2012
                                      • Figura 92: Principais lojas de compra de mercearia e líderes de varejo, pela demografia, compra de reposição, novembro 2012
                                    • Produtos que geralmente compra nos supermercados
                                      • Figura 93: Produtos que geralmente compra nos supermercados, novembro 2012
                                      • Figura 94: Produtos que geralmente compra nos supermercados, pela demografia, novembro 2012
                                    • Figura 95: Produtos que geralmente compra nos supermercados, pela demografia, novembro 2012 (cont.)
                                      • Figura 95: Produtos que geralmente compra nos supermercados, pela demografia, novembro 2012 (cont.)
                                      • Figura 96: Produtos que geralmente compra nos supermercados, pela demografia, novembro 2012 (cont.)
                                    • Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado
                                      • Figura 97: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado , novembro 2012
                                      • Figura 98: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra, novembro 2012
                                    • Figura 99: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em supermercado, novembro 2012
                                      • Figura 99: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em supermercado, novembro 2012
                                      • Figura 100: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em supermercado, novembro 2012 (cont.)
                                    • Figura 101: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em hipermercado, novembro 2012
                                      • Figura 101: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em hipermercado, novembro 2012
                                      • Figura 102: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em hipermercado, novembro 2012 (cont.)
                                    • Figura 103: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em clubes de desconto, novembro 2012
                                      • Figura 103: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em clubes de desconto, novembro 2012
                                      • Figura 104: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em lojas de conveniência, novembro 2012
                                    • Figura 105: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em lojas de departamento, novembro 2012
                                      • Figura 105: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em lojas de departamento, novembro 2012
                                      • Figura 106: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em mercearias independentes, novembro 2012
                                    • Figura 107: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em mercearias independentes, novembro 2012 (cont.)
                                      • Figura 107: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em mercearias independentes, novembro 2012 (cont.)
                                      • Figura 108: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em compra em grupo on-line, novembro 2012
                                    • Figura 109: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em loja on-line , novembro 2012
                                      • Figura 109: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em loja on-line , novembro 2012
                                      • Figura 110: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em padaria, novembro 2012
                                    • Figura 111: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em feira, novembro 2012
                                      • Figura 111: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em feira, novembro 2012
                                      • Figura 112: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em feira, novembro 2012 (cont.)
                                    • Figura 113: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em atacadista, novembro 2012
                                      • Figura 113: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela frequência de compra em atacadista, novembro 2012
                                      • Figura 114: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado semanais/mensais, pelas principais lojas de compra de mercearia e líderes de varejo, novembro 2012
                                    • Figura 115: Comportamento e atitudes com relação às compras supermercado de reposição, pelas principais lojas de compra de mercearia e líderes de varejo , novembro 2012
                                      • Figura 115: Comportamento e atitudes com relação às compras supermercado de reposição, pelas principais lojas de compra de mercearia e líderes de varejo , novembro 2012
                                      • Figura 116: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela demografia, novembro 2012
                                    • Figura 117: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela demografia, novembro 2012 (cont.)
                                      • Figura 117: Comportamento e atitudes com relação às compras de supermercado, pela demografia, novembro 2012 (cont.)
                                  • Apêndice – Dados do GNPD

                                      • Figura 118: Lançamentos de alimentos com posicionamento porção individual, por países selecionados, 2010-12
                                      • Figura 119: Lançamentos de refeições prontas com posicionamento natural e funcional, por países selecionados, 2010-12
                                      • Figura 120: Lançamentos de aperitivos com posicionamento natural e funcional, por países selecionados, 2010-12
                                      • Figura 121: Lançamentos de alimentos e bebidas com marcas próprias e outras marcas, 2010-12
                                    • Figura 122: Lançamentos de alimentos e bebidas com marcas próprias e outras marcas, por subcategoria, 2010-12
                                      • Figura 122: Lançamentos de alimentos e bebidas com marcas próprias e outras marcas, por subcategoria, 2010-12

                                  About the report

                                  This report will give you a complete 360-degree view of your market. Not only is it rooted in robust proprietary and high-quality third-party data, but our industry experts put that data into context and you’ll quickly understand:

                                  • The Consumer

                                    What They Want. Why They Want It.

                                  • The Competitors

                                    Who’s Winning. How To Stay Ahead.

                                  • The Market

                                    Size, Segments, Shares And Forecasts: How It All Adds Up.

                                  • The Innovations

                                    New Ideas. New Products. New Potential.

                                  • The Opportunities

                                    Where The White Space Is. How To Make It Yours.

                                  • The Trends

                                    What’s Shaping Demand – Today And Tomorrow.

                                  Please Note: This is a sample report. All of the figures, graphs, and tables have been redacted.

                                  Trusted by companies. Big and small.

                                  • bell
                                  • boots
                                  • google
                                  • samsung
                                  • allianz
                                  • kelloggs
                                  • walgreens
                                  • redbull
                                  • unilever
                                  • Harvard
                                  • pinterest
                                  • new-york-time